Corpo de Bombeiros Salva Onça Parda Atropelada na GO-428 em Campinorte, Goiás

Equipe de Bombeiros Age Rapidamente para Socorrer Animal Ferido à Margem da Rodovia, Demonstrando Compromisso com a Vida Selvagem.
onca

Uma onça parda foi resgatada pela equipe do Corpo de Bombeiros após ser atropelada na GO-428, na zona rural de Campinorte, no interior de Goiás. O animal foi encontrado ferido às margens da rodovia na última quinta-feira (09/11).

A corporação da 11ª Companhia Independente Bombeiros Militar (CIBM) de Uruaçu informou que o animal foi deixado sob os cuidados da Secretária de Meio Ambiente de Campinorte e que durante o resgate uma médica veterinária acompanhou o animal e avaliou as condições de saúde dele.

De acordo com o Secretário Municipal de Meio Ambiente, Elvis Klysmann, o próprio motorista que atingiu animal acionou o resgate. “O rapaz que atropelou o animal fez a ligação para o Corpo de Bombeiros, que acionou a gente. Nós fomos até o local participar do resgate”, relata o secretário.

Elvis também deu detalhes de como foi o processo do resgate. “Chegamos ao local e identificamos o animal, era uma onça sussuarana, também conhecida como onça parda. Ela estava acuada, escondida em meio a mata, às margens da rodovia. Os bombeiros colocaram o animal em uma gaiola e o deixaram sob nossa responsabilidade, para que pudesse receber o tratamento ou fosse solta em seu habitat”, pontuou o responsável pela pasta.

O secretário afirmou que a princípio não foram identificados ferimentos no animal. “No momento não tínhamos visto ferimentos no animal. A veterinária do munícipio fez as primeiras avaliações e notou que a onça não possuía ferimentos externos”, explica Elvis.

O animal foi levado para um local onde ficou sob observação. Após avaliação médica, foi descoberto que a onça possuía fratura em uma das patas. “Vimos que o animal tinha uma fratura na perna esquerda traseira. Imediatamente ligamos para a Polícia Ambiental, sediada em Goianésia, que informou que na sexta-feira (10/11) transportará o animal para o CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres), em Goiânia, onde receberá o tratamento adequado e, posteriormente, será devolvido à natureza”, finalizou o Secretário de Meio Ambiente.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Pular para o conteúdo